ELA: DO DISCURSO AMOROSO

(filme de Francisco Lobo) | dir. artística de Tiago Correia (Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira) l 2016

1/3

Um homem segue uma mulher decidido a declarar-se. Num discurso desenfreado fala sobre si, sobre ela e sobre o próprio amor. Os dois iniciam uma viagem. Nesta ilusória suspensão temporal, é criada a imagem de uma relação que eles vivenciam e constroem até ao seu inevitável fim.

Concepção e direcção |  Manuel Tur
Realização | FRANCISCO LOBO

Argumento | TIAGO CORREIA.

Interpretação | ÍRIS TOIVOLA CAYATTE e TIAGO CORREIA

Uma produção | A TURMA

Direção de fotografia | JULIANA CONSTANTINO, IGOR MARTINS

Edição | IGOR MARTINS

Chefe de produção | FRANCISCO SILVA.

Assistência de produção | JOANA CORDEIRO e LEONEL MENEZES

Direção de arte | ANA GORMICHO

Assistência de direção de arte | LINA LETRA

Direção de som | ANA PEDRO

Captação de som | FREDERICO PRAZERES

Música | JOÃO HASSELBERG

1o assistente de realização | NELSON CASTRO

2o assistente de realização | SOFIA AFONSO

Direção de atores | MANUEL TUR

Design gráfico | INÊS FERREIRA

Produção Executiva | TIAGO CORREIA

Apoio | Pedras e Pêssegos

Parcerias | Anexo82, Bando à Parte, Concept View, Widescreen, Confeitaria Ricardo Jorge, Copos & Cusquices, Estuário do Douro, Douro Marina, Loja dos Pasteis de Chaves, Maus Hábitos, Maria Q.B., Menino do Douro - Flor do Gás, Pedra Nova, Pizzaria Tarantino(a convite do Palcos do Românico - Rota do Românico)

A NOITE CANTA

de Jon Fosse | enc. Tiago Correia (Cão Danado / T.M. Porto - Campo Alegre / FITEI) l 2016

1/8

Na sala-de-estar da sua casa – apresentada como prisão e/ou como refúgio do mundo - assistimos, muito próximos, a uma tragédia contemporânea íntima e delicada, que explora as fraquezas de um casal a adiar o fim da relação.

Numa linguagem escassa, de palavras aparentemente banais, com uma música própria, feita de repetições e silêncios, a morte surge inesperadamente. O autor Jon Fosse abre janelas para a vida, para questões existenciais. Escreve com amor e empatia sobre os que são deixados para trás. As suas personagens surgem frequentemente em estado de sonolência ou de fadiga, porque não podem deixar de pensar n’o que pode acontecer. A possibilidade é sempre mais real do que o atual. É por isso que ele escreve sobre mudanças. Como se cada lugar novo pudesse oferecer o que o passado não conseguiu. A vida não é senão esperar, estar suspenso entre o passado e o futuro, num presente que não pode ser capturado. Todos têm o mesmo medo de serem abandonados.

A partir de “Night Sings Its Songs” de Jon Fosse 

Tradução | Pedro Porto Fernandes

Dramaturgia e Encenação | Tiago Correia

Interpretação | Ana Moreira, António Parra e Pedro Almendra (substituindo Albano Jerónimo), António Durães (voz off) e Cristina Carvalhal (voz off)

Cenografia | Ana Gormicho

Figurinos | Patrícia Shim 

Desenho de Luz | Rui Monteiro e Francisco Tavares Teles 

Música Original e Sonoplastia | Nélson Silva 

Vozes gravadas no Zumbido Studio, por Ana Pedro.

Videografia | Francisco Lobo 

Design Gráfico | Inês Ferreira 

Direção de Som | Tiago Ralha

Produção Executiva | Tiago Correia e Vera Marques 

Coprodução | A Turma, Cão Danado, Teatro Municipal do Porto e DGArtes, República Portuguesa

Rua da Fábrica Social s/n, 4000-201 Porto

© 2019 · Companhia A Turma

Subscreva a nossa newsletter